Início >> Noticia >> Reestruturação do setor portuário é destaque em lançamento de anuário
  • Increase
  • Decrease

Current Size: 100%

Reestruturação do setor portuário é destaque em lançamento de anuário

Tornar referência a atividade portuária no Pará é um dos desafios destacados pelo governador Helder Barbalho durante o lançamento do 6º Anuário produzido pelo Sindicato dos Operadores Portuários do Estado do Pará (Sindopar), na última sexta-feira (22), em Belém. Homenageado com o Prêmio Zezinho Canto, concedido nacionalmente pelo setor, Helder Barbalho reforçou a importância da infraestrutura portuária em sua gestão. O evento contou também com a presença do vice-governador Lúcio Vale, outro homenageado; do senador Zequinha Marinho (PSC-PA), do presidente da Assembleia Legislativa do Estado do Pará, Daniel Santos, e outras autoridades.   

Em seu pronunciamento, o governador reconheceu o apoio constante do setor portuário como determinante para enfrentar desafios. "É satisfatório voltar aqui na condição de governador; mas é também desafiador. Agora chegou a hora de fazermos à frente do governo, para que a logística da atividade portuária do modal fluvial e marítimo possa se consolidar como referência", frisou Helder Barbalho. Ele citou como medida já tomada com esse objetivo a recente criação do Grupo de Trabalho comandado pelo secretário de Estado de Segurança Pública, Uálame Machado, para tratar das condições de segurança de quem trafega pelos rios paraenses. 

O governador informou ainda os resultados de reuniões que teve em Brasília (DF) durante a última semana - uma delas com a ministra Carmen Lúcia, do Supremo Tribunal Federal (STF) -, para tratar sobre a antecipação da concessão de ferrovias e investimentos cruzados e a logística de exportação. Helder Barbalho também disse que, entre os demais governadores, foi eleito coordenador da pauta que trata das compensações da Lei Kandir com o governo federal. "No que nos couber, eu e o vice-governador trabalharemos para termos um ambiente de trabalho atraente, com segurança jurídica e plena condição de receptividade, com geração de emprego, renda e transformação social, colhendo frutos de um Estado plenamente desenvolvido", garantiu.

O vice-governador Lúcio Vale foi agraciado com diploma e medalha de Honra ao Mérito por sua contribuição ao setor quando foi deputado federal. "Reforço a importância de viabilizar o escoamento da nossa produção, via portos, e acredito que esse é o caminho para que o Estado do Pará tenha o destaque que merece no cenário nacional”, declarou.

Escolha unânime - Presidente do Sindopar, Alexandre Carvalho disse que essa foi a primeira vez que um homenageado foi escolhido por unanimidade desde a criação do prêmio. "Ele está para ganhar essa premiação desde a época em que foi ministro dos Portos, quando em pouco mais de sete meses de trabalho alcançou o equivalente a cinco anos de trabalho. Helder tem esse condão de união e esperança", acrescentou. 

A atuação no Ministério também foi ressaltada por Sérgio Aquino, presidente da Federação Nacional das Empresas de Operação Portuária (Fenop). "Ele atuou de maneira muito forte para recuperar a importância da Secretaria, à época, e trabalhou em nível nacional ainda pela valorização do arco norte, que é extremamente importante para o País em termos de escoamento e competitividade. Como governador, vai trabalhar pela descentralização da administração dos portos. Isso é estratégico", destacou Sérgio Aquino.

O senador Zequinha Marinho lembrou a importância de haver uma publicação com a riqueza de informações contidas no Anuário. "Quem atua com essa área certamente será beneficiado em ter acesso a esse material. É a construção de um novo momento para a região", afirmou.

O deputado Daniel Santos, ao enfatizar que 95% das exportações brasileiras saem pelo setor hidroviário, disse considerar fundamental que o Pará assuma esse protagonismo. "A Alepa não se furtará a discutir esse assunto com o governo federal, com as bancadas, no sentido de destravar os problemas que ainda enfrentamos nesse aspecto. A ausência do Poder Público em um momento como esse, de construir um diálogo, penalizaria a todos, principalmente a população", garantiu o presidente da Alepa.

Por Carol Menezes