Início » Noticia » AGE utiliza robô para auxiliar na análise das despesas do Executivo

AGE utiliza robô para auxiliar na análise das despesas do Executivo

Ferramenta é fruto de parceria com o Tribunal Contas do Município (TCM).

 

AGE dispõe de nova tecnologia com o robô Argus para agilizar o trabalho de auditoria referente à fiscalização dos recursos públicos

Já está em utilização, na Auditoria Geral do Estado, o robô Argus, que irá otimizar os trabalhos de auditoria referente à fiscalização dos recursos públicos do Estado. A inteligência artificial é uma parceria com o Tribunal de Contas do Município, que por meio do Núcleo de Informações Estratégicas (NIE) desenvolveu o sistema.

A ferramenta, utilizada pela gerência de auditorias e do setor jurídico da AGE, faz um filtro das publicações feitas no Diário Oficial do Estado (DOE) referentes a contratos, aditivos, suprimento de fundos e processos de licitação, entre outros. Com isso, é possível ter acesso de forma mais rápida à modalidade do processo, objeto, número do processo e o valor. Antes, essa análise era feita de forma manual.

“O uso do ARGUS provocará um diferencial positivo nos trabalhos desenvolvidos pela Gerência Jurídica, especialmente no que diz respeito a uma melhora da celeridade na resolução dos procedimentos, assim como na assertividade e facilitação na busca e análise dos dados referentes aos procedimentos submetidos à análise de conformidade jurídica e consequente emissão dos pareceres”, explica a gerente do Jurídico, Sâmya Souza.

Para o gerente de Auditorias da AGE, Renato Almeida, o robô dará celeridade ao trabalho do órgão. “O sistema ARGUS reduzirá o tempo despendido com buscas no Diário Oficial do Estado, permitindo um monitoramento mais eficiente de atos administrativos publicados".

A parceria se deu por meio de assinatura de Termo de Cooperação Técnica entre AGE e TCM em novembro do ano passado. Após isso, a equipe do Núcleo de Informações Estratégicas do TCM, juntamente com o Núcleo de Tecnologia da Informação da AGE adaptaram o software às necessidades do órgão do Executivo.

 

Por Lucila Pereira (AGE)